Home  »  BLOG  »  Palestra de Antônio Carlos Gomes da Costa
Palestra de Antônio Carlos Gomes da Costa
17 mar, 2009

Move Rio foi representado por dois membros no evento do “Parceiros da Educação” nesta segunda-feira que contou com palestra do professor Antônio Carlos Gomes da Costa sobre o “Guia Prático para Análise de Situação em Estabelecimento de Ensino”.

A palestra foi ótima. Antônio Carlos mostrou ser uma potência de conhecimento no assunto e certamente uma referência para todos que atuam na área.

Antes da palestra, tivemos oportunidade de conhecer muitos dos cerca de 60 presentes e de apresentar o Move Rio.  Por sinal, além de muito bem recebidos, fomos elogiados por todos que conversamos (além dos que já nos conheciam), a ponto de termos sido citados ao público como “um novo importante movimento” logo antes do início da palestra enquanto a representante do “Parceiros da Educação” apresentava Antônio Carlos aos convidados – foi ótimo.

Só um comentário final antes de tratar da palestra: o prédio do Oi Futura é um espetáculo e vale conhecer.  Tem espaço para exposições, salas de discussão e informática, auditório para teatro e palestras e etc. – são 8 andares.  Um dia a gente chega lá!

Vamos à palestra. Antônio Carlos fez uma descrição histórica interessante ao relembrar da Declaração de Jomtien, documento elaborado na Conferência Mundial sobre Educação para Todos, realizada na cidade de Jomtien, na Tailândia, em 1990.  A Declaração fornecia definições e novas abordagens sobre as necessidades básicas de aprendizagem, tendo em vista estabelecer compromissos mundiais para garantir a todas as pessoas os conhecimentos básicos necessários a uma vida digna, visando uma sociedade mais humana e mais justa.

O Brasil recepcionou a Declaração com a seguinte mensagem: “educação para todos, todos pela educação” e garantiu ao longo da década de 90 acesso a todos à escola (ou quase todos) que sequer sabiam seu significado.  Hoje o problema é outro: garantir qualidade do ensino, daí porque Antônio Carlos propõe um ligeiro ajuste à mensagem – “educação com qualidade para todos, todos pela qualidade da educação”.

Na opinião de Antônio Carlos, “direito à educação é muito mais do que vaga na escola”.  Por isso apresentou como tema da palestra os critérios de avaliação da situação em estabelecimento de ensino.  Em síntese, os critérios são objetivos e estão previstos na Lei n° 9.394/96 – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, a LDB.  A quem interessar, os artigos relevantes que foram abordados na palestra estão no arquivo Word anexo.  Neles estão elencados os deveres do estabelecimento, dos docentes e os requisitos para a implantação da gestão democrática das escolas.

É nesse contexto que entra o “Parceiros da Educação”, para criar uma nova demanda por qualidade na educação.  Antônio Carlos disse que será necessário um salto triplo de mudanças em conteúdo, método e gestão e terminou descrevendo os novos objetivos: 1) construção coletiva de uma proposta pedagógica, 2) criação de equipe capaz de compreender, aceitar e praticar a proposta pedagógica, e 3) necessidade de avanços em infra estrutura.  Resumiu esses objetivos usando o trocadinho “compreender (com a cabeça), aceitar (com o coração) e praticar (colocar em prática)”.

Um comentário final de Antônio Carlos foi sobre as visões “desempoderadora” e “empoderadora”.  A primeira é puramente de assistência, como o bolsa família, necessidades materiais em geral, merenda escolar, transporte, livros gratuitos e etc., que não deve ser visto como foco principal.  O importante – e nisso vem o significado da visão “empoderadora” − é quando se qualifica a demanda, e só quando isso acontece é que, por sua vez, se qualifica a oferta, daí importando somente a qualidade do ensino.